Conecte-se conosco

Hi, what are you looking for?

HQ e Livros

Queen Tu Lê? Madame Agatha Killer

Madame Agatha Killer é a primeira convidada da coluna “Queen Tu Lê?”. Venha descobrir quem são os seis autores LGBTQIA+ independentes que ela indica pra você começar a ler agora mesmo.

Compartilhe!

É significativo que a outrora Lar da Agatha tenha escolhido os versos a seguir para o seu renascimento artístico:

“Eu tive que te matar, eu realmente sinto muito. Eu tive de fazê-lo, tenho que ir sozinha. Eu tive que te matar, eu aguentei por muito tempo”.

Compostos por Andres Costureras, da banda Pshycotic Beats, os trechos acima são da música “Killer Shangri-Lah”, performada pela agora Madame Agatha Killer. Disponível em seu canal no YouTube desde 30 de outubro, este vídeo me deu o gancho necessário para estrear minha nova coluna, “Queen Tu Lê?”.

>  Pabllo Vittar e Anitta são confirmadas no festival Coachella; Confira!
>  Fantasia racista de KKK de drag queen brasileira gera revolta

Caso você tenha alguma dúvida sobre o motivo desta drag carioca ter sido convidada para debutar este espaço, a própria Madame Agatha Killer, em seu perfil no YouTube, no qual é conhecida por explorar o universo literário, lhe responde:

“Indicações literárias por uma drag queen. Aqui apresento os livros usando toda a minha criatividade nos looks e produção. Você vai encontrar diversos gêneros literários e muito respeito com o trabalho de autores independentes”, afirma.

Nada a estranhar, afinal, o nome mudou mas o currículo segue o mesmo: booktuber, costureira, drag queen e performista. Quando me dei conta de tudo isto, fiquei pensando: e se a Madame em pessoa indicasse para as dragliciosas seis autores LGBTQIA+ para conhecerem urgente?

“É uma honra para mim poder indicar artistas LGBTQIA+ independentes. Acho de extrema importância dar espaço a essas pessoas para que possam alcançar novos públicos com suas próprias vozes. Nossa comunidade é tão plural e as oportunidades muito desiguais. Espero que o público da Draglicious dê uma oportunidade para essas artistas e abrace essa matéria com carinho”, conta.

O resultado você confere logo abaixo. Ah, eu não sou a Serena ChaCha, mas o que você acha de pegar um livro, abri-lo e ler? Você pode nos agradecer elevando o trabalho das pessoas listadas em seguida. Divirta-se!

>  Os Balls dos Anos 20 e o Harlem Renaissance
>  Literatura LGBT jovem e adulta no Brasil

Yuri Amaral

  • pessoa não-binária, ilustradora, drag queen, autora, artesã.
  • no insta: @yuamaral

Yuri cria seus quadrinhos (O Menino que Não Sabia Voar) sobre o menino Kai, que é o único de seu vilarejo que não voa. Dentro desse ponto de vista, Yuri debate muitas questões sociais com diversas personagens inclusivas e com um trabalho visual primoroso. A sua drag, Yala, é uma personagem que ganha vida também na literatura, tendo parte de sua história contada no livro “Yala e a teia da existência”, além de performances de lipsync e outros projetos. Yuri também cria tirinhas com a sua personagem Fractal, pessoa trans, “que busca florescer a sua identidade, mesmo em uma sociedade transfóbica”, segundo a própria autora.

Amara Moira

  • mulher trans, puta-feminista, doutora e escritora
  • no insta: @amoiramara

Conheci sua arte através do livro “E Se Eu Fosse Puta”. Um livro autobiográfico sobre a sua vivência e perspectiva da prostituição e existência quanto pessoa trans. A obra é bem pessoal e abrange muitas questões importantes que podem nos aproximar de uma realidade muito marginalizada da nossa comunidade. A professora Amara também mantém cursos e publicações acadêmicas sobre questões sociais e, principalmente, vivência de pessoas trans.

Jê Omega

  • pessoa não-binária, professora, poeta e desenhista
  • no insta: @je_omega

Jê produz poemas incríveis sobre não se encaixar no padrão social e outras questões pessoais que se identifica, adicionando suas belíssimas ilustrações que trazem um visual emo para suas criações. Elu usa seu Instagram para compartilhar suas artes e nos cativar com tantos versos reflexivos.

>  La Mona's Battle: #EleNão
>  Queen Tu Escuta? Klox

Dandara Maria

Dandara usa suas redes sociais para publicar os seus textos que abordam temas como raça, gênero, sexualidade, ativismo e empoderamento. Suas postagens são muito profundas e provocativas, exatamente como precisamos para repensar nossos moldes sociais. Acredito que seus textos possam servir de acolhimento para muitas outras mulheres.

Lino

  • escritor, produtor, ator, drag queen
  • no insta: @linoverso

Lino é uma pessoa apaixonada por contos de fadas da Disney e que usa sua arte para transformar esses clássicos em histórias inclusivas, como o seu livro Transderella (Cinderella trans), que traz também representatividade negra e discute temas como gordofobia. Inclusive, este livro é uma adaptação de seu roteiro para uma peça de teatro da Transderella. Recentemente lançou a sensível versão de Rapunzel com uma protagonista com Síndrome de Down.

Mikka Capella

Mikka escreve contos e outras histórias em diversos gêneros literários, principalmente no terror e conquista-nos ao apresentar sua arte através de sua drag persona Jessica Wonder. Autor geek, também escreve livros de aventuras para jogos de RPG, onde presta serviço de editor e revisor para editoras de RPG.

Gostou? Compartilhe com mais pessoas LGBTQIA+ e não esqueça de apoiar o trabalho da Madame Agatha Killer em sua vakinha e apoia.se. Além de segui-la em suas redes sociais: FacebookInstagram,Twitter e YouTube. Siga também os demais artistas falados nesta matéria.

Compartilhe!
Clique para comentar

Deixe uma resposta

Veja também

Música

Das 12 drag queens lançadas em Canada’s Drag Race, apenas três têm carreiras musicais. Saiba quem são estas rainhas conferindo a "Drag Tip especial...

LGBT+

Se você é LGBTQIA+ e não foi uma criança afeminada, com certeza você conhece alguém que foi. Pensando nisso, o elenco do La Mona’s...

Entrevistas

Miau, miau, pussy, bitch: confira o Drag Review sobre a carreira musical de Scaredy Kat, a gata assustada do Drag Race UK que já...

TV, Filmes e Séries

Em pleno governo fascista e anti-diversidade, as monas do La Mona’s Battle mandam, cada uma a seu jeito, aquela mensagem que o presidente deveria...

Propaganda

Portal de entretenimento sobre cultura pop: celebridades, música, cinema e muito mais.

Contato: draglicious@outlook.com

Draglicious 2020 © Todos os direitos reservados.