Conecte-se conosco

Hi, what are you looking for?

LGBT+

A Revolta de Stonewall

A Rebelião de Stonewall foi um conjunto de episódios de conflito violento entre LGBTs e a polícia de Nova York em 28 de Junho de 1969 que duraram vários dias.

Compartilhe!

A Rebelião de Stonewall foi um conjunto de episódios de conflito violento entre gays, lésbicas, bissexuais e transgêneros e a polícia de Nova York que se iniciaram com um conflito policial em 28 de Junho de 1969 e duraram vários dias. Teve lugar no bar Stonewall Inn e nas ruas vizinhas, e é largamente reconhecida como o conjunto de eventos catalisadores dos modernos movimentos em defesa dos direitos civis LGBTs. Stonewall foi um marco por ter sido a primeira vez em que um grande número de pessoas LGBTs se juntou para resistir aos maus tratos da polícia contra a comunidade.

Administrado pela Máfia, o Stonewall Inn era uma pocilga de higiene precária que oferecia drinks adulterados a preços astronômicos. Apesar disso, constituía-se em um dos poucos locais onde pessoas LGBT podiam se socializar, beber, dançar e sentirem livres. Como de praxe, as batidas policiais eram recorrentes, mas terminavam de forma relativamente pacífica: a polícia prendia algumas pessoas, o bar fechava por algumas horas, para depois abrir novamente.

>  Grindr alerta usuários brasileiros para redobrarem segurança após eleições
>  Homens gays estão votando mais para candidatos anti-LGBT de extrema-direita

Drag sendo presa durante a Revolta de Stonewall.

Contudo, na noite do dia 28 de junho de 1969 algo diferente ocorreu: os frequentadores do Stonewall Inn resistiram à prisão, e a polícia perdeu o controle da batida. Uma multidão se reuniu na rua, na frente do bar, encurralando a polícia dentro do estabelecimento. A tropa de choque foi convocada, e o cenário virou uma praça de guerra, com confrontos violentos que duraram por seis dias.

Revolta de Stonewall, como ficaram conhecidos os seis dias de confronto com a polícia, marcou o momento de virada do movimento pelos direitos LGBTs nos Estados Unidos e em todo o mundo. Vale lembrar que, no Brasil, nos anos 80, as batidas policiais também eram costumeiras, com gays e lésbicas sendo presos só por serem abertamente LGBTs. Os bares também eram muito precários, e o tratamento aos clientes péssimo.

Maesha P. Johnson e Sylvia Rivera, mulheres trans e prostituas, ativistas LGBT e líderes da Revolta de Stonewall.

>  Desfile de moda em NY faz história ao escalar somente modelos trans
>  Evento sobre orgulho LGBT acontece em campo de refugiados

Dois protestos contra esse cenário de marginalização também marcaram o início do movimento LGBT no Brasil: a passeata contra o delegado Richetti, em 13 de junho de 1980, e a invasão do Ferro’s Bar, em 19 de agosto de 1983, que também ficou conhecido, em referência à revolta de Stonewall Inn, como dia do orgulho lésbico brasileiro.

Documentário sobre A Revolta de Stonewall

Compartilhe!
Clique para comentar

Deixe uma resposta

Veja também

AfroNerd

No início do século XX, uma subcultura homoafetiva começou a tomar forma nas ruas do Harlem em Nova York, movimento de empoderamento que daria...

AfroNerd

Traficante confessa que matou Matheusa e explica como ocultou cadáver.

HQ e Livros

Conheça um pouco da Literatura LGBTQ+ que está sendo produzida no Brasil. Há livros para todos os gostos!

LGBT+

Madonna falou sobre defender a comunidade LGBT e a necessidade de amor. No GLAAD Media Awards também se celebrou a visibilidade LGBT.

Propaganda

Portal de entretenimento sobre cultura pop: celebridades, música, cinema e muito mais.

Contato: draglicious@outlook.com

Draglicious 2020 © Todos os direitos reservados.